Oficinas de Arte e Reutilização

 

Nosso grupo atua com diversas oficinas, tanto em shoppings, empresas, escolas, fundações e projetos sociais.

Já participamos de rua de lazer, ações em creches, festivais e eventos culturais.

Dentro os destaques, podemos citar: oficina de bonecos com materiais reutulizáveis, origami, instrumentos musicais alternativos, decoração de caixas.

Os materiais mais usados são caixas de papelão, garrafas plásticas, caixas de leite, entre outros resíduos sólidos domésticos. Podemos trabalhar tanto com crianças, como professores e interessados em reciclagem e reutilização

 

 

Oficinas

Exposição Eco Bonecos

A exposição visa apresentar ao público um panorama de como podemos criar bonecos com garrafas Pet, sem que seja algo descartável ou pouco durável. Muitos dizem que fazer teatro de bonecos com materiais reutilizáveis, não traz durabilidade, nesta oficina provamos que dá sim para se fazer boa peças criadas com garrafas plásticas, entre outros materiais.

O material nobre para bonecos sempre será a madeira, mas hoje em dia se torna cada vez mais escassa. Neste sentido procuramos boas alternativas para o problema. A esposição Eco Bonecos é um sucesso por onde passa. Já estivemos em shopping centers, praça da Savassi, empresas como Anglo e espaços culturais como o Museu do Brinquedo.

Normalmente vai junto com atividades de oficinas de brinquedos com materiais reutilizáveis. Trabalho que também realizamos, tanto com garrafas plásticas, como caixas de leite Tetra Pak, entre outros materiais como caixas de papelão.

 

 

 

Exposio Eco_Bonecos

Qualidade de Vida - Bem Estar Corporativo

espacoZen

 

Possuímos uma equipe multidisciplinar de arte-educadores e massoterapeutas que atuam
em várias frentes de trabalho, seja ministrando oficinas de arte com foco na reutilização de
resíduos sólidos domésticos ou através de práticas relaxantes dentro do ambiente
empresarial.

Desde 2007 o grupo vem atuando com empresas de grande e pequeno porte sempre com
ações voltadas para a sustentabilidade, conscientização ambiental e qualidade de vida dos
funcionários.

 

PROPOSTAS DAS OFICINAS

As oficinas visam uma experiência diferenciada dentro do ambiente de trabalho onde o
funcionário terá acesso a práticas relaxantes e artísticas.

O projeto das oficinas tem a proposta de despertar no funcionário um outro olhar para
materiais que cotidianamente são descartados tanto na empresa quanto em sua residência,
dando ênfase ao tema da sustentabilidade.

O calendário das oficinas será pré definido para nortear as ações, no entanto,
também tem a proposta de despertar no funcionário a criatividade, deixando-o livre para
criar seus próprios objetos.

Dessa forma, as oficinas terão duas frentes de trabalho:
Oficinas pré definidas e com materiais que serão levados pelos arte educadores para que
os objetos sejam confeccionados (conforme calendário mensal a seguir).

Exposição prévia das propostas de objetos a serem confeccionados convidando o funcionário
a trazer o material que normalmente descarta em sua casa, para transformá-los em objetos
diversos.

QUICK MASSAGE

 

Como o próprio nome diz, a Quick Massage consiste na aplicação de massagem em determinadas regiões do corpo em um tempo médio de 15 a 20 minutos, ou seja, uma “Massagem Rápida”, ideal para obter um relaxamento muscular, equilíbrio energético e recuperação física, emocional, mental àqueles que se encontram na agitação do dia a dia.

Além de fornecer qualidade de vida aos colaboradores, atua numa não queda de produtividade pois oxigena a rotina, renovando o vigor para o trabalho e para o bom relacionamento com o cliente.

 

 

Reflexologia Podal

Técnica de massagem que utiliza a pressão em determinados pontos dos pés, aos quais correspondem regiões e órgãos do corpo humano. De acordo com o grau de desconforto experimentado nos pontos trabalhados, é possível perceber quais partes do corpo registram desequilíbrio.

A Reflexologia pode ser utilizada integrando os princípios da Medicina tradicional Chinesa.

A Reflexologia dos Pés tem como principal objetivo atuar na prevenção e no auxílio ao tratamento de disfunções do corpo, através da pressão nas zonas reflexas dos pés.

É utilizada também para equilibrar o corpo, reduzir tensões, atingir o relaxamento, melhorar a circulação sanguínea e dissolver os cristais de cálcio e ácido úrico depositados nos pés.

 

Cartilhas e Gincanas

Dentre os projetos que desenvolvemos, podemos citar as gincanas de Educação Ambiental. Chegamos repletos de atividades competitivas, desafios e brincadeiras que, além de educar ambientalmente, promovem a socialização, a competição saudável e o espírito de equipe.

Jogos de pontaria, corrida do saco, karaokê, adivinhações, estão entre as propostas que o grupo propõe.

Também destacamos as cartilhas, que são uma forma de desdobramento do programa de Educação Ambiental. Além do projeto no local, produzir a cartilha promove o fazer em casa. A criança leva para casa as receitas de eco-brinquedos de forma impressa, e pode realizar atividades de reutilização com os amigos e com a família. Já realizamos este trabalho com diversos empresas, desde micro até multinacionais.

Vale a pena leva esta idéia ao seu evento socioambiental.

Cartilha

Equipe

Untitled-4

Panorama

 

As ações do Grupo Tamanduá Sem Bandeira a partir de oficinas, espetáculos, palestras, rodas de conversa e outras, além do objetivo claro de diminuição do lixo seco a partir de saídas criativas, buscam agregar os aspectos inerentes do fazer humano – a experimentação como fonte de desenvolvimento, descoberta, prazer e como potente promotor de mudança. O trabalho desenvolvido contempla ainda outras vertentes de trabalho envolvidas com questões de saúde, qualidade de vida e cultura, tão urgentes quanto às ações ambientais.

 

Reciclagem Divertida

 

O projeto é fruto de um trabalho desenvolvido por três anos no jornal Estado de Minas. A aposta foi no poder de mudança das crianças, enxergando os pequenos cidadãos como multiplicadores das idéias de reciclagem. Porém, em pouco tempo a coluna se tornou referência não só para as crianças, como para educadores, ecólogos, bibliotecários, artesãos, e interessados em geral.

Assim, seja no formato de coluna para periódicos, seja no formato de cartilha, são ensinadas com um simples passo-a-passo, saídas criativas para o lixo seco. A partir de embalagens e outros resíduos o leitor cria brinquedos, instrumentos musicais e outros objetos.

 

Oficinas

  • Oficina de brinquedos com materiais reutilizáveis

A partir de embalagens plásticas, garrafas e outros resíduos, os participantes são convidados a construir diversos brinquedos. A conscientização

e a educação ambiental são abordadas então, de forma leve e integrada ao cotidiano.

Aspectos referentes à diminuição de resíduos, responsabilidade ambiental, consumo consciente, dentre outros são dialogados durante a oficina de forma contextualizada, em uma linguagem acessível. Assim, os participantes experimentam e criam novos brinquedos, imprimindo seus valores, gostos, idéias e vivências além de interagirem com o restante do grupo, se beneficiando com a troca de experiências.

 

 Nossas oficinas têm acontecido com diversos tipos de turmas, nas quais se destacam:

Crianças: são considerados ainda os aspectos do desenvolvimento, bem como a importância do brincar nesse processo, como principal estimulador das habilidades cognitivas, motoras, emocionais e sociais.

Pais e filhos: além de todos os aspectos levantados, acrescentam-se aqui, o brincar como criador e fortalecedor do vínculo pai-filho. A criança e seu pai ou mãe criam juntos o brinquedo, em um processo que envolve parceria, diálogo e descoberta. Ao final, a dupla é convidada a brincar junto, momento o qual o brinquedo se torna o diálogo dessa relação intergeracional.

Educadores: Mais uma vez, não se exclui os objetivos já abordados, porém se acrescenta o potencial educativo do brinquedo. Na oficina os educadores exploram e experimentam essa importante ferramenta prática de mediação do aprendizado.

  • Oficina de teatro de boneco com materiais reutilizáveis I: construção de personagens. 

Os participantes são convidados a criar diferentes personagens, explorando a ludicidade e simbologia do mesmo, seja como personagem de futuro espetáculo, seja como mediador em sala de aula (no caso de educadores).

  • Oficina de teatro de bonecos com materiais reutilizáveis II: construção dos personagens e dramaturgia. (duração de 5 dias).

Os participantes dessa modalidade de oficina são convidados a criar os personagens, conhecer aspectos referentes ao teatro, cenário e dramaturgia, e a partir daí construir seu espetáculo, sendo a apresentação a finalização do projeto.

  • Oficina de artigos com garrafa pet: vasos anti-dengue, floreira, porta-treco, embalagens, entre outros: Nesta oficina os participantes constroem diferentes objetos e adornos tendo como base a garrafa pet.
  • Oficina de origami

Uma arte que não fica só no Japão. Caixinhas, porta-trecos, pássaros, estrelas e o que mais a imaginação permitir, se transformam nas mãos dos participantes. A partir de revistas velhas e papéis de rascunhos a arte milenar se aproxima de todos de forma simplificada e melhor ainda, se tornando mais uma forma de reciclagem.

  • Arte em jornal

A partir do jornal são criados diferentes objetos como luminárias, porta-retrato além de lindas flores que podem ser aplicadas em enfeites, adornos para a casa, broches, enfeite para cabelo e outros.

Gincana de jogos ambientais

A partir de brincadeiras e jogos, as crianças refletem sobre o ecosistema, sobre como o homem vive e se relaciona com o seu meio. São abordados aspectos referentes à fauna e flora, desastres ambientais, problemas com o lixo, desperdício, entre outros. Além disso, durante a competição são trabalhados sentimentos como a parceria, motivação, competição, respeito mútuo, frustração, etc.

Espetáculos

 

O teatro é uma das ferramentas de trabalho mais utilizadas pelo grupo. Através dos espetáculos os expectadores têm contato com esta modalidade da arte, enriquecendo-se culturalmente, e principalmente – se informando. Nossas peças buscam promover reflexão e aprendizado de forma lúdica e prazerosa.

  • Espetáculo de teatral ambiental

As peças teatrais têm como objetivo provocar uma reflexão dos expectadores a respeito da forma como o homem se relaciona e se organiza na natureza. A partir de uma linguagem leve e acessível temas como o lixo, preservação e consumo são discutidos durante o espetáculo.

  • Bonecordel

Homenagem à cultura popular brasileira, o espetáculo acontece a partir de um duelo de repentistas, aqui na forma de bonecos. Muita embolada nesta performance que de forma divertida traz histórias populares do mamulengo nordestino.

  • Saúde Bucal

No Espetáculo “Lobo Mau Bucal”, as crianças aprendem de uma forma divertida a importância do cuidado com a saúde da boca. A releitura de uma fábula conhecida traz uma alternativa lúdica e mágica de comunicação com o público infantil.

 

Combate à dengue

O trabalho de combate à dengue, é um dos mais novos do grupo e nasceu a partir da urgência do tema, entendido também como uma questão ambiental. A reflexão sobre como o problema só vem aumentando mesmo com as intensas campanhas veiculadas e da ação dos agentes de saúde, deu origem a uma nova alternativa de conscientização. Através de espetáculos teatrais, oficinas de limpeza de áreas e criação de objetos com os resíduos recolhidos, os participantes (crianças e adultos), aprendem sobre a importância da atitude de cada um, como única forma de combater a doença.

 

SIPAT

Temas importantes como segurança, saúde do trabalhador e combate a acidentes são discutidos de forma lúdica e contextualizados em nossos espetáculos teatrais. O aprendizado adquire maior potencial de consolidação sendo realmente promotor de mudança de comportamento.

 

Considerações finais

Cabe ressaltar ainda que o Grupo Tamanduá Sem Bandeira pauta suas ações de acordo com as necessidades e realidade de cada público-alvo. Assim nossos ideais de sustentabilidade, consciência ambiental e social são pulverizados de forma direcionada e adequada à cada contexto.

 

 

 

 

Programa de Voluntariado

 

Voluntariado4

Programa de Voluntariado
Grupo Tamanduá sem Bandeira

Ações de voluntariado têm permitido discussões sobre valores como ética e cidadania, além de estimular a solidariedade e cultura da paz.

Na escola, enriquece o processo de ensino e de aprendizagem, complementando o trabalho em sala de aula e proporcionando uma compreensão mais aprofundada dos conteúdos abordados pelas
matérias, uma vez que permite relacionar teoria e prática.


CONVOCATÓRIA


Não há critério para a participação no Programa. Podem se inscrever professores, interessados em reciclagem, brincantes, pessoas não letradas, jovens, adultos, idosos, brasileiros ou não, enfim, é aberto à toda a sociedade.

175460 113153498760607_100001978732770_105803_8183489_o


DIAGNÓSTICO


Durante anos, e até hoje, recebemos mensagens de solidariedade e apoio para com nossas ações de Arte-Educação e Educação Ambiental. Pessoas de diversos Estados abraçando o projeto, querendo participar de forma ativa. Interessados em receber formação continuada e posteriormente aplicar estes conhecimentos localmente, em suas comunidades. Pelo fato de estarmos em Minas Gerais, fica impossível realizar um trabalho presencial de capacitação que contemple à todos. Foi diante deste cenário que resolvemos elaborar cursos online gratuitos, com o objetivo de instrumentalizar este público, para que possam nos ajudar levando criatividade e conhecimento aos menos assistidos.


O PROJETO
POR QUÊ FAZER?


Temos um volume muito bom de técnicas para se criar brinquedos, bonecos e instrumentos musicais alternativos utilizando materiais reutilizáveis.


QUAIS SÃO OS OBJETIVOS?


Levar oficinas de arte-cidadã para creches, asilos, organizações filantrópicas e instituições sociais mal assistidas pelo Estado.


GRUPO DE TRABALHO: QUEM ESTÁ DISPOSTO A FAZER PARTE?


Os interessados devem ter vocação para o Bem. Gostar de aprender e de ensinar. Ser desprovido de preconceitos raciais ou sociais. Estar disposto à levar o conhecimento adquirido aos mais necessitados.
Além dos módulos que vamos disponibilizar. O participante poderá criar seus grupos, convidar pessoas para participar do mesmo, gerar conteúdo e compartilhar através do site tamandua.org.br e nas redes sociais.


PLANO DE AÇÃO: COMO FAZER?

1- associar-se no link, entrar no Grupo Voluntariado no botão Rede
2- acessar o conteúdo disponibilizado através do login,
3- praticar em casa os fundamentos e técnicas,
4- pesquisar alguma instituição carente em sua comunidade,
5- agendar compromisso (podemos fornecer carta de apresentação),
6- documentar as atividades (etapas e depoimentos) com fotos e vídeos,
7- publicar no site, lembrando de escrever um breve texto sobre a ação.


CRONOGRAMA

Os módulos estarão disponíveis em fevereiro, mas a convocatória para novos associados já está valendo desde já.


ÁREA DE ATUAÇÃO

Cultura, educação, assistência social e meio ambiente e lazer.

HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

• aprender a conviver com a diferença;
• aprender a comunicar;
• aprender a interagir;
• aprender a decidir em grupo;
• aprender a valorizar as formas de arte;
• aprender a cuidar do ambiente;
• aprender a valorizar o saber social.
Ação

Existem muitas ações que podem ser desenvolvidas por projetos de voluntariado educativo, considerando os diferentes públicos e áreas de atuação.


O trabalho com projetos, além dos benefícios que traz a comunidade, promove a cultura do voluntariado, envolvendo alunos e educadores em discussões político-sociais, de cidadania, saúde, habitação, artes, lazer, etc.


A partir da análise, diagnóstico e planejamento das ações, os alunos envolvidos tornam-se parte de um projeto que beneficiará toda uma comunidade, em pequenas ou grandes ações, com responsabilidade, criticidade, autonomia, favorecendo diretamente o desenvolvimento das inteligências interpessoais e intrapessoais, essenciais na formação de cidadãos conscientes.


REFLEXÃO

Refletir é uma ação essencial que deve permear todas as etapas do projeto. Sempre que necessário o grupo deve trocar impressões, idéias, para ver se o resultado da ação corresponde ao esperado.
É fundamental que o projeto seja constantemente avaliado por meio de uma reflexão conjunta sobre os seus resultados.
Existem inúmeras formas de refletir em grupo, mas é importante considerar o diálogo como fundamental no processo educacional.
Dialogar envolve dizer, ouvir e refletir sobre o que foi dito e feito para reconstruir e ressignificar; estes movimentos de troca de impressões, avaliações constantes e reflexão mútua possibilitam a criação de uma nova visão.


REGISTRO

A experiência pode ser divulgada, ampliada, analisada, revisada e reeditada se houver o registro das ações realizadas. A partir dele será formada uma base de dados comum de conhecimento, disponível para todos que necessitarem conhecer as etapas, os impactos, os resultados, as dificuldades e conquistas do projeto.

O registro pode se dar de diferentes maneiras:
• fazendo memórias, relatórios, pautas;
• arquivando banco de dados e pesquisas que serão feitas ao longo do projeto;
• fotografando a comunidade atendida em atividade, buscando registrar o antes e o depois das ações, além dos envolvidos, reuniões, etc.
• filmando oficinas, entrevistas e apresentações promovidas com o público atendido.
• gravando depoimentos para que não seja perdida nenhuma informação, o que posteriormente pode até ser transcrito e arquivado.

RECONHECIMENTO

Reconhecer e comemorar são procedimentos que nem sempre são lembrados e são fundamentais em projetos sociais. Valorizar, estimular e reconhecer ações de voluntariado são gestos que promovem o comprometimento.

Existem muitas maneiras de reconhecer e apoiar a participação em projetos sociais educativos:
-cessão de espaço no site para a veiculação do material gerado (fotos, vídeos, textos),
-divulgação do trabalho podendo gerar futuros contatos profissionais,
-acesso à toda nossa estrutura de cursos e material eco-pedagógico,
-veiculação das melhores práticas na fanpage Reciclagem Divertida no Facebook,
-apresentar material sobre as ações para jornais locais visando mídia espontânea.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O projeto de voluntariado educativo se insere no contexto das Diretrizes Curriculares Nacionais, na medida em que promove a interdisciplinaridade, possibilitando relacionar conteúdos a atividades, projetos de estudo, pesquisa e ação, poderá ser uma prática pedagógica e didática adequada aos objetivos do ensino médio e também aplicável no ensino fundamental.
A interdisciplinaridade supõe um eixo integrado que pode ser o objetivo do conhecimento, um projeto de investigação, um plano de intervenção. O projeto de voluntariado educativo difere-se de outros projetos curriculares porque tem a intenção de envolver uma prática social que deve partir da necessidade sentida pelas escolas, professores e alunos para intervir e promover a transformação da realidade local.

 

seja-voluntario-banner

Gincana Eco Quiz

 

 

 

Semana do Meio Ambiente agita empresas eco-responsáveis

Dia 5 de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente, momento de refletir sobre ações que compensem o desgaste de recursos naturais gerados pelas empresas, independente do porte.
Um evento que se tornou muito usual é a Semana do Meio Ambiente, onde durante uma semana empresas atuam de forma transformadora, tanto na empresa, como na comunidade onde se está inserida. Departamentos de marketing, comunicação integrada, comunicação social, recursos humanos, todos se envolvem neste período visando mobilizar, sensibilizar e trazer conciência ambietal para os colaboradores da empresa. As secretarias de meio ambiente também desenvolvem o mesmo trabalho em suas prefeituras.

Dentro das programações sempre estão previstas teatro ecológico (teatro de bonecos e teatro de ator), gincanas recreativas e competitivas com o tema meio ambiente, oficinas de arte tendo como suporte materiais reutilizáveis, jogos e outras dinâmicas buscando divertir trazendo sensibilização aos participantes. Algumas empresas ainda oferecem cartilhas de eco-brinquedos, trabalhando assim com pedagogia na forma receitas passa a passo ensinando a criar brinquedos utilizando resíduos sólidos domésticos, o chamado "lixo seco".
A Semana do Meio Ambiente coroa o reconhecimento de que é preciso sim, manter o desenvolvimento econômico, a geração de emprego, mas também ficar atento à degradação ambiental com medidas paleativas que compensem o desgaste dos recursos naturais.
As principais empresas que exercem esta prática são as relacionadas com desgaste do solo, ou de outros recursos não renováveis como Vale, Gerdau, Votorantim, enfim, mineradoras que produzem aço, aço inoxidável, alumínio, abrasivos entre outros.

Papel Artesanal é o maior barato

 

A oficina de papel artesanal tem como principal objetivo a conscientização da importância da reutilização de materiais usuais, consumidos diariamente por toda a sociedade. O papel é dentre eles um dos mais consumidos. Lidamos então não somente com seu reaproveitamento, mas com sua reciclagem.


O uso do papel se faz de várias maneiras, desde a desconstrução / reconstrução de sua utilidade usual, ou seja, a concepção do papel como já conhecemos, às técnicas que lhe enriquecem e potencializam seu uso. A Oficina de Papel Artesanal pode ser dividida em diferentes módulos, o que permitiria uma amostra de várias técnicas e assim, um reaproveitamento maior de um simples, embora rico material. Poderiam ser divididos nos seguintes módulos:


1- A desconstrução/ reconstrução do papel.
[ 6horas aproximadamente].
2- Construção de objetos utilitários a partir do papel reciclado.
[8 horas aproxim.].
3- Técnica de “papietage” (uso de colagens).
[10 horas aproxim.] 
4- Papié marché.
[8 horas aproxim.]
5-Construção de bijuterias e pequenos objetos (papéis reaproveitados e reciclados).
[6 horas aproxim.]


Totalizando aproximadamente 38 horas de oficinas, que podem ser divididas (aproximadamente) em 20 aulas de duas horas cada uma delas.
Esses módulos devem ser distribuídos em horas/aula de acordo com a técnica utilizada, partindo do pré-suposto de melhor aproveitamento dessas pelo aluno e possibilidades de criação a partir das técnicas demonstradas. A oficina de papel do Tamanduá sem Bandeira tem a coordenação de Fabiana Alves.

 

Pagina 1 de 4

Go to top